(84) 99198-4413

NO AR

AUTOMAÇÃO MUSICAL

Com LOUVORES DE ESPERANÇA

Sussuros

RUTE PARTE II

Publicada em 22/03/18 as 19:57h por Lucas Oliveira - 24 visualizações


Compartilhe
   

Link da Notícia:

"Acreditar é mais fácil do que pensar. Daí existem muito mais crentes do que pensadores."
(Bruce Calvert)

Assim, como Bruce Calvert, é comum conflitarmos lógica com fé.

De um lado, temos ateus que acreditam que fé e lógica se contrapõe. Que fé é ausência de raciocínio lógico. Do outro lado, temos criacionistas, religiosos e teólogos, que defendem com firmeza, que a razão, é na verdade, um elo inquebrável entre fé e ciência. 
Já dizia James Tour: 

"Somente um principiante que não sabe nada sobre ciência diria que a ciência descarta a fé. Se você realmente estudar a ciência, ela certamente o levará para mais perto de Deus." 

Talvez, olhando para o título e em seguida para essa introdução, alguém esteja se perguntando sobre onde quero chegar. O que tem a ver, Rute, com este assunto?

É verdade que livro de Rute não é um livro de cunho cientifico. Também não se dedica em defender o designer inteligente. Resumidamente, é apenas mais um história de alguém que creu em Deus.

Porém, teve um momento na história, que me fez ver nos mesmos versos, uma superposição, entre razão e fé. Entre lógica calculista e confiança no que não se ver.

No capítulo 1, do verso 8 até o 14, vemos o relato de duas mulheres moabitas(pagãs) que amavam sua sogra (Noemi)e não queriam deixa-lá partir, sem que não pudessem segui-la.

Rute e Orfa eram semelhantes. Além de ambas serem moabitas, no verso oito, lemos que as duas eram bondosas com Noemi, no verso nove lemos que ambas, igualmente, choraram em voz alta. No verso dez, ambas disseram que queriam seguir Noemi.

Até aqui, a história se desenrolava sem demonstrar nenhuma diferença entre as duas moças. Mas do verso 11 até o 13, Noemi, com boa intenção, argumenta que para o bem das moças, seria melhor que elas não a seguissem. Lendo o relato bíblico, e sabendo que pelas leis de Israel, Orfa e Rute deveriam ser resgatas (se casarem novamente) pelos parentes mais próximos dos seus falecidos maridos, nós podemos resumir os argumentos de Noemi da seguinte forma:  

1) Não tendo Noemi filhos, elas não seriam resgatadas por eventuais cunhados.(v.11)

2) Sendo mulheres viúvas e sem filhos, isso com certeza as impossibilitariam de se casarem com outro homem de Israel, que não fosse parente próximo da família. (contexto da época)

3)Mesmo que Noemi voltasse a se casar e ter filhos, eles seriam muito novos para Orfa e Rute.(v.13)

Os argumentos de Noemi eram perfeitamente lógicos e racionais.  Qualquer um que seguisse os seus conselhos, aparentemente estaria tomando a melhor decisão.

Mas é aí onde a história muda radicalmente.

No verso 14, vemos que Orfa atendeu os conselhos de Noemi e "com um beijo, se despediu de sua sogra…" Orfa fez o esperado, o razoável. Ela observou a situação e tomou a decisão aparentemente correta. Usou a lógica como guia. A bíblia não menciona o que houve com Orfa. Depois disso, ela caiu no esquecimento e não foi mais mencionada; mas podemos imaginar que Orfa teve um marido e filhos. Podemos dizer, um final feliz.

Mas o verso 14, ainda não havia chegado ao fim,  o verso continua dizendo: "Porém, Rute, se apegou a ela( Noemi)"

Aqui está a grande diferença! é nesse ponto que Orfa e Rute se distinguem tão grandemente. É esse ponto que separa quem será o coadjuvante, de quem terá o nome como título do livro. É esse ponto que separa quem será esquecido, de quem estará na genealogia de Cristo.

A fé de Rute em dizer: "Irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus" (Rt 1:16) Transcendeu a lógica  calculista de Orfa. Essa fé, fez Rute enxergar além dos sofrimentos que vinham acontecendo e dos argumentos de Noemi. Um fé que alcança o que aparentemente é inalcançável. Que não se limita ao que podemos mensurar, mas que se apoia em uma confiança em Deus, que para muitos é loucura. 

É por essa narrativa que discordo tão abruptamente de Calvert. Pois o mais fácil, nesse caso,seria ceder e se apoiar no palpável. Confiar na capacidade de observar e decidir, com certeza traria maior segurança. 

Não sei a que fé Calvert se referia, mas com certeza era uma fé diferente da de Rute. 

Não estou criticando a lógica ou a razão. Não tenho dúvidas de que a fé é racional, assim como deve ser nosso culto (Rm 12:1). Mas sem sombra de dúvidas, a fé transcende todas essas coisas. Foi a fé legitima que fez o mar servir de muro pra Moisés e de tapete para Pedro. Coisas estas, que aparentemente eram impossíveis. 

Que assim  como Rute, que você creia que Deus está no controle de todas as coisas. Não se desespere com o que te cerca, o seu problema é apenas palco para a atuação de Deus.

Maranata. 

Acesse: https://sussurros77.tumblr.com/






Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
22/03/18 - Sussuros CICLOS
22/03/18 - Sussuros RUTE PARTE I
22/03/18 - Sussuros RUTE PARTE II






.

LIGUE E PARTICIPE

Visitas: 77231
Copyright (c) 2018 - 3mawebradio